Hot Best Seller

Meu corpo virou poesia

Availability: Ready to download

Em seu primeiro livro de poesia, Bruna Vieira percorre uma viagem para se reencontrar. Em 2017, Bruna Vieira fez as malas, deixou a vida no Brasil de lado e foi escrever uma nova história em outro país, vestida de coragem e guiada por um sentimento que sempre foi sua maior prioridade: o amor. Com o tempo, porém, os dias foram ficando cada vez mais longos e solitários. Era Em seu primeiro livro de poesia, Bruna Vieira percorre uma viagem para se reencontrar. Em 2017, Bruna Vieira fez as malas, deixou a vida no Brasil de lado e foi escrever uma nova história em outro país, vestida de coragem e guiada por um sentimento que sempre foi sua maior prioridade: o amor. Com o tempo, porém, os dias foram ficando cada vez mais longos e solitários. Era como se naquele lugar o amor tivesse perdido o equilíbrio e se tornado uma obrigação. Bem perto do fim e de um jeito cruel, ela finalmente se deu conta: é impossível ser "nós" sozinha. Formado por quatro partes – cabeça, garganta, pulmão e ventre –, este livro é um mapa. Um mapa que leva Bruna de volta à escrita e a si mesma. São relatos reais, repletos de lembranças, aprendizados e cicatrizes, que agora deixam o corpo da autora para encontrar o seu, em forma de poesia. Ao tocar em temas como autoestima, amizade feminina e relacionamentos (com o outro e sobretudo consigo mesma), Bruna olha para dentro e nos convida a percorrer nestes versos nossa própria viagem de autodescoberta.


Compare

Em seu primeiro livro de poesia, Bruna Vieira percorre uma viagem para se reencontrar. Em 2017, Bruna Vieira fez as malas, deixou a vida no Brasil de lado e foi escrever uma nova história em outro país, vestida de coragem e guiada por um sentimento que sempre foi sua maior prioridade: o amor. Com o tempo, porém, os dias foram ficando cada vez mais longos e solitários. Era Em seu primeiro livro de poesia, Bruna Vieira percorre uma viagem para se reencontrar. Em 2017, Bruna Vieira fez as malas, deixou a vida no Brasil de lado e foi escrever uma nova história em outro país, vestida de coragem e guiada por um sentimento que sempre foi sua maior prioridade: o amor. Com o tempo, porém, os dias foram ficando cada vez mais longos e solitários. Era como se naquele lugar o amor tivesse perdido o equilíbrio e se tornado uma obrigação. Bem perto do fim e de um jeito cruel, ela finalmente se deu conta: é impossível ser "nós" sozinha. Formado por quatro partes – cabeça, garganta, pulmão e ventre –, este livro é um mapa. Um mapa que leva Bruna de volta à escrita e a si mesma. São relatos reais, repletos de lembranças, aprendizados e cicatrizes, que agora deixam o corpo da autora para encontrar o seu, em forma de poesia. Ao tocar em temas como autoestima, amizade feminina e relacionamentos (com o outro e sobretudo consigo mesma), Bruna olha para dentro e nos convida a percorrer nestes versos nossa própria viagem de autodescoberta.

30 review for Meu corpo virou poesia

  1. 5 out of 5

    Tainá Aguiar

    Bruna fez um trabalho e tanto. Poesias intensas, cheias de vulnerabilidade e, sendo bem sincera, inspiradoras. Tiveram um efeito super especial em mim, palavras que serviram como um choque - talvez um tapa na cara - e outras que me acolheram de forma intensa.

  2. 5 out of 5

    Bianca Carmo

    Primeiro livro da Bruna que eu leio e terminei com a sensação de ter recebido um abraço de uma amiga de anos. Revivi cicatrizes e curei elas novamente com cada verso. Definitivamente entrou para minha lista de favoritos.

  3. 4 out of 5

    Bruna Alves

    Mais do que tudo, aprecio aquilo que me ensina e me mostra uma parte do mundo onde ainda não visitei ou vivenciei. Este livro foi a síntese disso. Minha leitura foi sinuosa e às vezes deixava o livro de lado para refletir o que li porque a Bruna, muito felizmente, conseguiu tocar em assuntos de forma tão poética e profunda que ao mesmo tempo que me sentia lendo um livro de aprendizados de uma amiga íntima, via partes de mim e de histórias minhas analisadas pelo seu olhar de uma forma diferente Mais do que tudo, aprecio aquilo que me ensina e me mostra uma parte do mundo onde ainda não visitei ou vivenciei. Este livro foi a síntese disso. Minha leitura foi sinuosa e às vezes deixava o livro de lado para refletir o que li porque a Bruna, muito felizmente, conseguiu tocar em assuntos de forma tão poética e profunda que ao mesmo tempo que me sentia lendo um livro de aprendizados de uma amiga íntima, via partes de mim e de histórias minhas analisadas pelo seu olhar de uma forma diferente do meu próprio, mostrando-me como uma história pode haver dois pontos de vista ou até mesmo não se tratar de apenas uma, mas sim de duas histórias de dois indivíduos completamente diferentes. Marquei poemas para que, no futuro, volte pra esse livro quando precisar colocar meus pensamentos no lugar e lembrar dos meus ideias (ou de como eles mudaram) e aprenda (talvez de forma diferente da que aprendi agora) com a Bruna novamente. Assim, meu veredito consiste em: leia se estiver disposto(a) a encarar os dois lados da moeda das suas vivências enquanto a autora conta suas próprias e/ou se quiser acompanhar os pensamentos da Bruna e tudo que ela experienciou e pensou que a faz do jeito que ela é agora. Cinco estrelas são pouco para tudo que esse livro me ensinou.

  4. 4 out of 5

    Vanessa

    Um dos melhores livros que li esse ano. E na minha vida toda. Já conhecia o poema "Semente" através do vídeo postado no canal da Bruna, mas toda vez que o leio fico arrepiada. Realmente toca meu coração. Os poemas de "Meu corpo virou poesia" nos lembram da importância do amor próprio, de nunca deixarmos de lado a nossa voz, mesmo que nem sempre a gente esteja pronto para falar. É um livro sobre aceitar os próprios erros, reconhecer os desafios no caminho e pensar em quem queremos ser no presente Um dos melhores livros que li esse ano. E na minha vida toda. Já conhecia o poema "Semente" através do vídeo postado no canal da Bruna, mas toda vez que o leio fico arrepiada. Realmente toca meu coração. Os poemas de "Meu corpo virou poesia" nos lembram da importância do amor próprio, de nunca deixarmos de lado a nossa voz, mesmo que nem sempre a gente esteja pronto para falar. É um livro sobre aceitar os próprios erros, reconhecer os desafios no caminho e pensar em quem queremos ser no presente e no futuro. E nunca esquecermos de nós mesmos só pra agradar outras pessoas. Pode parecer uma mensagem simples, mas não é. Me identifiquei muito com as palavras dela. Amei e super recomendo!

  5. 5 out of 5

    Júlia Vilarim

    4.5* a bruna escreve muito bem, desde o primeiro trabalho dela, e só melhora a cada livro. tirei meia estrela porque achei que alguns poemas eram longos ou curtos demais, mas preciso dizer que a maioria deles me lembrou martha medeiros e caio f. abreu, dois dos meus autores favoritos e sei que da bruna também ler esse livro foi uma surpresa e um choque muito grande. é bizarro como a gente acompanha alguém nas redes sociais e não faz ideia do que realmente se passa. muito orgulho do tanto que ela cre 4.5* a bruna escreve muito bem, desde o primeiro trabalho dela, e só melhora a cada livro. tirei meia estrela porque achei que alguns poemas eram longos ou curtos demais, mas preciso dizer que a maioria deles me lembrou martha medeiros e caio f. abreu, dois dos meus autores favoritos e sei que da bruna também ler esse livro foi uma surpresa e um choque muito grande. é bizarro como a gente acompanha alguém nas redes sociais e não faz ideia do que realmente se passa. muito orgulho do tanto que ela cresceu nos últimos anos!

  6. 4 out of 5

    Ariane Freitas

    Não é segredo pra quem acompanha a Bruna que sua escrita é pautada na vulnerabilidade - é isso que a torna tão especial. De volta anos depois da última publicação, ela estreia na poesia como uma mulher mais madura e confortável dentro de si mesma. O projeto gráfico está belíssimo, e as palavras são uma porrada - da melhor maneira possível. Chorei, sorri, senti o conforto de um abraço. E, melhor que tudo: me senti mais próxima dela e de mim mesma. Vai morar na cabeceira. 🖤

  7. 4 out of 5

    Isabela Moraes

    Minha admiração a quem sabe escrever poesia 👏🏼

  8. 5 out of 5

    Lorenna Rodrigues

    "Por meses eu me senti uma estranha presa em mim porque eu já não era mais quem esperavam que eu fosse, mas também já não era quem eu estava acostumada a ser." Esse livro me pegou TANTO! Acho que foi o livro em que mais marquei frases na vida. Me identifiquei até com o que não queria. Ele é cru, dolorido e lindo. "Por meses eu me senti uma estranha presa em mim porque eu já não era mais quem esperavam que eu fosse, mas também já não era quem eu estava acostumada a ser." Esse livro me pegou TANTO! Acho que foi o livro em que mais marquei frases na vida. Me identifiquei até com o que não queria. Ele é cru, dolorido e lindo.

  9. 4 out of 5

    Lailie Winne

    Livros de poesia sempre me tocam porque traz intimidade. Talvez seja esse o motivo de muitas pessoas não gostarem, é desconfortável ver alguém se despir e mostrar suas dores, suas fragilidades, seus sentimentos para todo mundo. Mas é justamente isso que faz com que eu goste desse gênero, me faz entender o que se passa na mente e no coração de outra pessoa. E foi justamente o que aconteceu com este livro. A forma como a Bruna encontrou para que ela compreendesse e perdoasse tudo o que ela viveu p Livros de poesia sempre me tocam porque traz intimidade. Talvez seja esse o motivo de muitas pessoas não gostarem, é desconfortável ver alguém se despir e mostrar suas dores, suas fragilidades, seus sentimentos para todo mundo. Mas é justamente isso que faz com que eu goste desse gênero, me faz entender o que se passa na mente e no coração de outra pessoa. E foi justamente o que aconteceu com este livro. A forma como a Bruna encontrou para que ela compreendesse e perdoasse tudo o que ela viveu para não se permitir estar nesse lugar novamente.

  10. 4 out of 5

    Cidney

    como eu chorei bruna. chorei porque dei de cara comigo mesmo depois de muito tempo. não sabia que me buscava tanto assim. não sabia que iria me encontrar através de você (mais uma vez). você sempre esteve aqui, desde que eu folheava revistas capricho, mas hoje foi diferente, porque muitas experiências me separam daquela versão de mim. ler esse livro foi como ter tido uma longa conversa com você, e ainda que todos tenham suas próprias vivências, ainda assim fôssemos capazes de compartilhar de um como eu chorei bruna. chorei porque dei de cara comigo mesmo depois de muito tempo. não sabia que me buscava tanto assim. não sabia que iria me encontrar através de você (mais uma vez). você sempre esteve aqui, desde que eu folheava revistas capricho, mas hoje foi diferente, porque muitas experiências me separam daquela versão de mim. ler esse livro foi como ter tido uma longa conversa com você, e ainda que todos tenham suas próprias vivências, ainda assim fôssemos capazes de compartilhar de um sentimento em comum. como pode dois corações sentirem o mesmo? eu não poderia explicar nem se conhecesse tal sentimento. mas há algo nesse livro que deve ser como isso. essa sensação de ter chegado a um final depois de muitas aventuras que foram intensas, maravilhosas, traiçoeiras e de grande fonte de amadurecimento, também. é um fim que puxa aquele clichê do novo começo. e recomeça porque estamos longe de estar acabados. a verdade é que além da busca por mim, buscava estar vivo, e aqui tive o lembrete de como é ter um coração, ainda que partido. ainda não sei bem o que fazer com isso, com a minha natureza que quer sempre amar, mas certamente me conheço mais. me amo mais. sou planta regada pelas tuas e minhas experiências, e que, apesar da completude, não se plantou sozinha, mas sim, desabrochou. te agradeço por ser esse sol vermelho que realça o verde que habita em mim. por me lembrar que a vida machuca e que nós erramos, mas que também aprendemos e que, algumas vezes, nos tornamos sim melhores, acho que é isso que sempre busco: por essa constante fonte de mudança, uma vez que eu não poderia ser o mesmo para sempre, nem pra mim mesmo, nem para aqueles que ouviram meu “eu te amo” e foram embora.

  11. 5 out of 5

    Mark

    Escrever sobre sentimentos é uma tarefa muito complicada, pois, sentimentos são únicos, individuais. Qual a fórmula secreta para se expressar? Qual a forma perfeita para colocar seus pensamentos em ordem e passá-los para o leitor? Nenhuma dessas perguntas possuem respostas corretas, apenas momentos certos. "Eu estive quieta, mas nunca perdi minha voz" Em sua coletânea de poesias divididas em 4 partes (Cabeça, garganta, pulmão e ventre), Bruna Vieira, por meio de sua poesia, nos transporta para de Escrever sobre sentimentos é uma tarefa muito complicada, pois, sentimentos são únicos, individuais. Qual a fórmula secreta para se expressar? Qual a forma perfeita para colocar seus pensamentos em ordem e passá-los para o leitor? Nenhuma dessas perguntas possuem respostas corretas, apenas momentos certos. "Eu estive quieta, mas nunca perdi minha voz" Em sua coletânea de poesias divididas em 4 partes (Cabeça, garganta, pulmão e ventre), Bruna Vieira, por meio de sua poesia, nos transporta para dentro de suas próprias confusões, suas realizações, suas convicções e suas dúvidas e com isso se entrega ao leitor como um livro aberto. "Me perguntei em silêncio, enquanto a poeira flutuava, quantas vezes será que usei a minha preciosa imaginação para fantasiar uma outra versão de você?" O livro conta com belíssimas ilustrações que dão contraste às belas palavras que Bruna nos entrega ao longo das páginas. Para todos os amantes de poesia, amantes de Bruna Vieira ou curiosos eu digo o seguinte: Corre e adquira sua cópia física/digital e embarca nessa viagem por dentro dos sentimentos de Bruna Vieira.

  12. 5 out of 5

    Fabíola Salomão Lima

    Quem acompanha a Bruna nas redes sociais há tempo consegue imaginar em quais momentos da vida dela os poemas se encaixam. E para quem não a acompanhar já tanto tempo, consegue se identificar com os sentimentos e sensações descritos pela autora. É um livro muito sensível e bonito, que a expõe e causa identificação com mulheres diversas. Muito gostoso de ler e dá para acabá-lo em um único final de semana.

  13. 4 out of 5

    Laís

    Que livro maravilhoso!!! Cada poesia, cada linha, cada palavra, me fez refletir tantas coisas de formas diferentes! Mesmo não me identificando diretamente com algumas páginas, consegui “sentir” aquelas palavras como se fosse uma amiga falando sobre!! Eu amo livros mágicos que tem a capacidade de me fazer sentir o que eu nunca senti ou tive consciência de que estava sentindo!! Em dois dias terminei, ri, sorri, chorei e respirei fundo incontáveis vezes!!

  14. 4 out of 5

    André Amorim

    4,5* Na minha opinião, a leitura desse livro é intensa (me senti muito tocado pelos poemas). Acho que a Bruna fez um trabalho bonito em compartilhar com os leitores um pouco de suas vivências e aprendizados; em ressignificar tantas das experiências difíceis pelas quais ela passou. Sobre o gênero: até hoje, não li tantos livros de poesia quanto gostaria, mas fico encantado em ver como a poesia se faz esse espaço de intimidade e sensibilidade. Um espaço de verdades.

  15. 4 out of 5

    Alice Idália

    Livro de poesias bem pessoais, onde a autora expôs sua jornada rumo a si mesma. Vulnerabilidade e sinceridade são duas palavras que descrevem bem esse livro. Sinto que Bruna colocou um pedaço seu em cada poema. Acho que é um livro bacana para jovens, pois muitas pessoas vão se reconhecer nessas letras.

  16. 5 out of 5

    Karen Neri

    É difícil dar nota para um livro como esse porque, de certa forma, você está rankiando o sentimento de outra pessoa. Mas Bruna soube descrever com maestria não só a sua história mas sentimentos muito íntimos, e nem um pouco particulares, de todos nós. Foi um presente encontrar as palavras desse livro e conhecer melhor a autora que já acompanho a tanto tempo.

  17. 5 out of 5

    Beatriz Xavier

    A Bruna sempre consegue me arrancar suspiros, reflexões e sorrisos. Eu amo a escrita dela e dessa vez não foi diferente. Foi extremamente lindo ver ela amadurecer e se encontrar porque esse processo também aconteceu comigo. Comecei a ler os livros dela quando era adolescente e agora, adulta, me vejo extremamente orgulhosa das mulheres fodas que tanto eu, quanto ela nos tornamos.

  18. 5 out of 5

    Mayara

    O livro é muito profundo, transmite muitos sentimentos e como dito é um mapa, são nítidas as fases que a Bruna descreveu aqui, como ela passou e como sente isso atualmente, forte e inspirador, não tem como não se identificar com ela em algum ponto do livro. As ilustrações fazem jus a estarem no livro.

  19. 4 out of 5

    Lizandra Brum

    Já li tudo que foi publicado pela Bruna, e esse livro sem dúvidas, foi diferente de tudo aquilo que eu já li Da pra perceber o quão íntimo são os poema, o quão profundo a Bruna foi. Gostei muito.

  20. 4 out of 5

    Tiago Monfardini

    eu sinceramente acho muito difícil escrever uma crítica para um livro de poesia, porque é muito pessoal, mas essa é a nota q vou dar.

  21. 5 out of 5

    Isabela Oliveira

    O melhor livro da Bruna Vieira (falo com tranquilidade) e meu favorito de poesia ❤️

  22. 4 out of 5

    Carol Cordova

    Coração quentinho após a leitura. Amei. ❤️

  23. 4 out of 5

    Tessa

    ⭐: 3,5

  24. 4 out of 5

    Rafaela Oliveira

    Tem um poema que me tocou profundamente e que me fez pensar ... Eu acho que esse livro é companhia e tapa na cara ao mesmo tempo.

  25. 5 out of 5

    Karen Marreiro

    como não favoritar algum livro que essa mulher escreve??? vários sentimentos... sz

  26. 5 out of 5

    Mayara Dionisio Garcia

    Maravilhoso. Cada página me tocou de uma maneira diferente. Recomendo muito!

  27. 4 out of 5

    Mike Rocha

  28. 5 out of 5

    Juliana Faria

  29. 4 out of 5

    Mariana Dias

  30. 4 out of 5

    Camila Márcia

Add a review

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Loading...